Defronte dele

... acaricio-o levemente. Solto-o, comprido, revolto e, pego na escova que jaz do lado direito do meu toucador e, escovo-o até avassalá-lo ao meu gosto.

Observo, diante dele, detalhadamente a minha silhueta e, penso. Já fui criança disciplinável, carente e, adorável, adolescente, desassossegada e, enamorada. Principio de mulher indefesa, temerosa, intransigente e, converti-me numa mulher esperançada, audaciosa, pragmática, sonhadora, e, apaixonada.

Abaixo o rosto e, observo o meu corpo delgado que persiste.

Sofredora na adolescência pela magreza excessiva e, na actualidade possuidora de magreza apetecida. No ventre duas cicatrizes da maternidade, num útero que concebeu a vida. O maior feito e, altivez que detenho.

Ergo as minhas mãos, despojo-me dos adornos e, testemunho os meus dedos que tatuam e, delineiam sensações auferidas e, emoções impressas no meu corpo e, pensamento.

Altivo o rosto e, observo os meus olhos grandes e, negros que outrora avistavam e, hoje presenciam aprimoradamente.

Emito um som, um pequenissimo murmúrio num timbre de voz jovial que não sucumbiu aos anos e, erradio um sorriso que reconheço e, amo.

A imagem que tu reflectes não é perfeita, mas, é a minha e, eu aprecio.

No dia de hoje não vou desnudar-me e, trajar-me de roupa aprimorada e, requintada. Hoje a minha pele é o trajo que anseio e, tu serás o lençol de textura acetinada que veste a minha nudez consumindo o desejo assumido e, confesso.

Comentários

  1. Meu Deus,como e possivel,fecho meus olhos e consigo visualizar-te na perfeicao...nao me ves,detenho em mim um sorriso rasgado,como se Eu fosse "ele"...

    Teupoetamagico...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teupoetamágico,
      Sorrindo. E, usufruíndo do deleite do sentimento que assolou-o na leitura do meu texto.

      Ana

      Eliminar

Enviar um comentário

Ballet's Mais Admirados