Sentei no sofá da minha sala

... já o  dia há muito tempo adormecera nos braços da noite.

Sonolenta e, extenuada encostei-me vagarosamente e, abracei a almofada de coloração branca, modelo quadrado e, tecido delicado. Na minha lembrança habitava, ainda, calorosamente, reminiscências das palavras auferidas e, ofertadas na conversação terminada há escassos instantes. A cumplicidade sentida e, manifestada pelo riso e, gargalhada ecoavam semelhantemente provocando no meu semblante um sorriso demoradamente apetecido e, desejado.

- “Se a gente cresce com os golpes duros da vida porque não engrandecer com os toques suaves na alma. Já pensas-te querida?! Questionara-me.

Por momentos o silêncio se fizera presente. Em diminutos segundos,  relembrei e, apreendi que em todas as circunstâncias da vida existe um reverso ... e, nesse sentido sem a menor hesitação, retorqui:

- "Sim. São com os toques suaves e, macios na alma que desejo trajar-me e, continuar a trajar. Desnudar-me, abruptamente, dos golpes duros que a vida por vezes oferta-me sem os desejar.”

Levantei-me, vagarosamente, pousei a almofada, desliguei a luz e, a passos lentos encaminhei-me para um e, outro quarto ... Silenciosamente, aproximei-me. Um afago, um carinho, um aconchego e, um beijinho em cada um dos rostos deles assentei.

Cerrei uma e, outra porta.

Encaminhei-me para o meu leito, e, trajei os lençóis com o meu corpo desnudado do golpe duro da vida que recentemente auferi e, serenamente adormeci agasalhada pelos toques suaves e, macios que anteriormente ofereci.

Comentários

  1. Olá, querida
    Que a primavera lhe seja favorável!!
    Bjm de paz

    ResponderEliminar
  2. Orvalho do Céu,
    O seu desejo é semelhantemente meu.

    Um laço primaveril de mim para si.

    Ana

    ResponderEliminar
  3. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog A dança das Palavras. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. q a vida lhe satisfaça em todos os seus desejos ... obrigado pelo carinho por lá

    ResponderEliminar
  5. Inteligente posicionamento perante os acontecimentos da vida que, sem dúvida, nos ensinam a caminhar e a 'como' caminhar da melhor maneira possível. É fato que aprendemos com nossos sucessos e infortúnios desde que estejamos predispostos a isso. E é fato também que nossas atitudes se refletem em nossa disposição emocional e física.
    Adorei seu blog. Quero vir sempre para participar desse ballet de palavras contigo.
    Convido-a a conhecer meu blog e saborear um chocolate comigo.
    Beijokas.
    Seguindo...

    ResponderEliminar
  6. Paulo,
    Agradecida.
    Perdoe-me o meu agradecimento tardio.

    Ana

    ResponderEliminar
  7. Lua Nova,
    Agradecida e, lisonjeada pela sua visita ao meu "Ballet de Palavras".

    Comungo semelhantemente das suas palavras.

    Um laço de cetim de agradecimento de mim para si.

    Ana

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Ballet's Mais Admirados