A decepção que sentimos quando desiludimos

... pessoas que nos são próximas familiarmente pautam por uma dor acrescida. Acrescida pelo elo que nos une, muitas das vezes, esse elo torna-se responsável por uma incapacidade adicionada e, temporária de entendimento superior ao normal e, naturalmente o tempo de duração até à nova fase de entendimento é doloroso e, árduo.

O reverso é semelhante.
E, é no reverso que debruço-me. Sinto-me, neste instante, desiludida e, um tumulto de emoções emerge à tonalidade da minha pele.

Emoções nefastas que se instalaram sem data ou hora anunciada de chegada ou abalada. A surpresa foi a única com lugar reservado e, de braço dado com a desilusão sentida. O acontecimento encetado, sem retorno, coloca assim no lado esquerdo do meu peito paralelamente aos sentimentos nefastos, desconforto, dor árdua.

Demando no tempo … O entendimento! A percepção ! E, a decisão …

Comentários

  1. De repente nos pegamos tristes sem causa aparente, nesse caso só nos restar esperar que o tempo volte tudo ao normal.

    ResponderEliminar
  2. Wanderley,
    Confio no tempo.
    No tempo conselheiro e, amigo.

    Ana

    ResponderEliminar
  3. a surpresa e a (des)ilusão: dois passos de uma mesma dança!
    um beijinho, ana!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Ballet's Mais Admirados