O relógio assinalava uma hora tardia quando uma mulher

... vagarosamente, aprontava o seu dormir. Estendida no leito, o encontro cessado e, o diálogo findo aconchegava delicadamente o seu subconsciente.

Relembrou-o! Inquieto no sofá da sala. O seu rosto surpreso, olhar inquiridor, sorriso rasgado e, o sorriso dela, correspondido, quando retorquiu, afavelmente à pergunta formulada.

Detenho a ternura dos quarenta que se fez assinalada há sete anos e, mais alguns meses.

Esboçei um sorriso ... e, rememorei as minhas  palavras ... Sabes?! A minha estatura física cumplice do meu timbre de voz jovial é usualmente incomparável à idade que possuo. Naturalmente é um privilégio. No entanto é o bem-estar que detenho interiormente que admiro e, anseio.
Desfrutar da vida na minha idade é simplesmente deslumbrante. Possuir o desejo inadiável de ambicionar os cinquenta, sessenta e, mais anos um prazer desmedido. A idade que possuo, actualmente, permite-me um discernimento, dissemelhante, na forma como penso, procedo e demando a minha vida. Confesso que com a ternura dos quarenta aprimorei imensos segredos.
Compreendo que as delicadas rugas no meu rosto são naturais envelhecimentos que permite-me nos dias de hoje o desfruto de relembrar-me dos anos passados e, consciencializar-me (sem mágoas) que não voltam mais.

Desfruto do privilégio do observar e, contemplar em vez de olhar e, enxergar. Entendo que não é necessário altear a voz para ser audível quando a persuasão é a nossa partidária. Aprendo que companhia não é antítesse de solidão e, que a solidão não é sinónimo de desamparada, e, consequentemente que presenças presentes podem sê-lo ou não. Que há amigos em nossa vida que sempre o serão, outros, que nunca o foram e, por isso se perderão e, ainda, novos que aparecerão nos anos que adviram.
Que existem palavras e, acções que depois de pronunciadas e, ou consumadas são irreversíveis e, que por isso pensar e, agir antecipadamente é um compromisso proeminente e, não um dever a adquirir.
Adquiri, analogamente, o entendimento que subsiste o privilégio de amar na verdadeira concepção da palavra e, simultaneamente, o prazer de ser amada. Que sorrisos não são manifestos de alegria e, lágrimas nem sempre são tristezas sentidas. Que mentiras são facilmente confessas mas dificilmente manter-se-ão secretas. Que o respeito e, a lealdade é um direito que me assiste e, que conquisto. Que o carinho, ternura e, brandura são sentimentos mansos que se distinguem e, deleitam o lado esquerdo do meu peito - o coração -. Que a emoção nem sempre se sobrepõe à razão e, que a razão nem sempre é a vera decisão, no entanto, é a unica opção ...
Que a violência é um mal ruim, desnecessário e, lamentavelmente a pacificidade está longe de ser conquistada ... mas, acredito que seja avassalada. Que a fome é uma crueldade e, o seu término uma dura realidade a ser vencida. Que a ingratidão existe e, que a solidariedade é semelhantemente um dom que se conquista a cada dia que se vive.
Que a guerra é a imperfeição da humanidade e, o "Homem" o guerreiro de tal ruindade ...
                                                                                                                            (...)

Comentários

  1. muito obrigada pelo seu comentário gratificante,
    vou seguir :)

    ResponderEliminar
  2. Diana Marcelino,
    Agradecida pela sua simpatia e, lisonjeada com a sua presença no meu Ballet de Palavras.

    Ana

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga

    Palavras
    preciosas
    são aquelas
    que nos transportam
    ao instante de criação
    de um texto.

    Momento onde o pensamento
    se transforma em vida,
    inspirando o belo,
    o crítico,
    o contemplar a vida,
    sentindo-a plena
    em nosso contemplar
    e entender os sentimentos.


    Que a alegria
    faça folia
    em teu coração.

    ResponderEliminar
  4. agradeço de coração todo o carinho para com o Elian ...

    bjão

    ResponderEliminar
  5. Aluisio Cavalcante,
    Agradecida pelas suas ternas palavras e, o seu desejo.

    Semelhante ao seu anseio que a felicidade se aconchegue e, agasalhe no lado esquerdo do seu peito.

    Ana

    ResponderEliminar
  6. Olá, querida
    Pena que seja dessa forma!!!
    Deus criou tudo tão perfeito... nos voltamos contra Ele...
    Bjm de paz e ótimo fim de semana

    ResponderEliminar
  7. Paulo,
    Não precisa de agradecer o carinho é sincero e, obviamente extensivel à sua pessoa.

    Ana

    ResponderEliminar
  8. Orvalho do Céu,
    Agradecida pelas suas sinceras palavras e, desejo.

    Um excelente e, doce fim de semana.

    Ana

    ResponderEliminar
  9. Olá, querida

    " Das alturas orvalhem os céus,
    E as nuvens que chovam justiça,
    Que a terra se abra ao amor
    E germine o Deus Salvador"...

    Fico tão sem palavra para agradecer o carinho imensurável com que me cumula ao longo do ano que só posso lhe dizer que te amo fraternalmente...
    Seja muito abençoada e feliz, amiga!!!
    Bjm de paz e FELIZ NATAL... apesar de qualquer vestígio de dor em seu coraçãozinho....

    "Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes,

    e então saberás que eu me feri e também me curei."

    Tagore

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Ballet's Mais Admirados